segunda-feira, 23 de maio de 2011

Ewá, a Mãe do Segredo

Havia uma jovem e pura princesa chamada Ewá. Esta donzela era filha de um poderoso rei, Oxalá, que amava muito sua filha, na qual confiava mais do que em qualquer outra pessoa. Ewá era pura, graciosa, espiritualizada, calma e trabalhadora: o encanto do reino de Oxalá. Um dia, apareceu no reino um jovem guerreiro que a seduziu, e ela engravidou. Dizem que ela se apaixonara pelo grande guerreiro. Ewá resolveu esconder a gravidez, temia a reação de Oxalá se ele soubesse que ela se entregara a um homem sem antes casar. Ele acreditava que Ewá era uma menina ingênua e virgem. Desesperada e já sentindo as dores do parto, sem ter em quem confiar, fugiu do palácio real rumo à floresta, onde deu a luz a um filho homem. Sozinha, sem  ajuda, Ewá desmaiou após o parto. O menino foi recolhido por Yemanjá, que o levou para seu reino, dando-lhe o nome de Xangô. A dor que Ewá sentiu ao acordar e não encontrar seu filho foi tão grande que ela foi esconder-se no cemitério, mantendo o rosto coberto para que ninguém a reconhecesse. Para alguns a mulher que aparece no cemitério é uma assombração, para outros é a senhora das possibilidades: Ewá, a Mãe do Segredo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário